Endometriose em outros órgãos

A endometriose pode afetar órgãos distantes como o pulmão.

No entanto, é importante destacar que, a doença não se espalha e não se comporta com um câncer, ou seja, a paciente não vai morrer em decorrência da endometriose.

Quando identificado, estes focos de endometriose podem ser tratados com hormônios ou  cirurgia, dependendo dos sintomas  e da gravidade do acometimento do órgão.

A teoria mais aceita para o aparecimento da endometriose pélvica é a regurgitação do sangue menstrual pelas tubas uterinas (trompas), determinando endometriose pélvica ou nos órgãos abdominais.

Nas situações em que órgãos distantes são acometidos, a teoria mais aceita é que o tecido endometrial foi transportado diretamente pelo sangue e nas pacientes com predisposição para a doença, este tecido passa a se desenvolver em órgãos distantes.

Os sintomas variam de acordo com a área acometida:

Pulmão e diafragma: tosse com sangue no período menstrual.

Outras vezes mulheres que apresentarem pneumotórax espontâneo durante a menstruação, ou seja a membrana que envolve os pulmões pode romper devido a endometriose e a paciente apresenta falta de ar, levando a mulher ao hospital.

Outras queixa frequente é a dor ombro direito durante as menstruações, devido a origem comum do nervo frênico (nervo que inerva o diafragma) com os nervos sensoriais do ombro.

Bexiga: dor ao urinar durante o período menstrual, que pode ser confundido com infecção urinária de repetição.

Toda vez que os sintomas de infecção urinária surgirem de maneira recorrente no período menstrual, a principal hipótese diagnóstica é endometriose na bexiga.

Intestino: dor para evacuar, diarreia ou constipação no período menstrual, especialmente quando estes sintomas não existiam anteriormente.

Soltar um pouco o intestino durante as menstruações é algo normal.

Saiba mais sobre:

Quais os sintomas da endometriose?

Quais os exames detectam a endometriose?

Artigo publicado por Dra. Aline Mormilo Borges CRM 120.044