Ultrassom transvaginal com preparo intestinal

O ultrassom transvaginal com preparo intestinal é um exame realizado para o diagnóstico e estadiamento da endometriose.

Diversas publicações científicas têm demonstrado que a ultrassonografia com preparo intestinal deve ser o exame inicial na mulher com suspeita de endometriose, com uma capacidade diagnóstica (sensibilidade) entre 95 e 100%.

As principais diferenças entre um exame transvaginal e um exame transvaginal com preparo intestinal são:

  • A capacitação do médico que realiza o exame;
  • Protocolo de exame;
  • Duração do exame.

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal demonstrando uma lesão de endometriose intestinal

Capacitação do médico para o exame transvaginal com preparo intestinal

A capacitação de um médico para a realização de um exame transvaginal com preparo intestinal é longa e requer muita dedicação, sendo considerado quase uma especialidade dentro da ultrassonografia.

Este é o principal fator na qualidade de um exame transvaginal para pesquisa de endometriose.

Existem treinamentos de longa duração, específicos para capacitar médicos para a realização deste exame, como por exemplo, os oferecidos pelo CETRUS.

Protocolo de exame

Existem diferentes protocolos para a realização do ultrassom transvaginal com preparo intestinal.

Quanto mais completo é o protocolo, mais lesões de endometriose são diagnosticadas durante um exame, incluindo lesões em lugares pouco comuns.

No protocolo ideal o exame deve ser realizado tanto pela via transvaginal, quanto pela via abdominal.

A parte do exame realizado pela via transvaginal consegue detectar as lesões de endometriose mais comuns, como as localizadas na região retrocervical, intestino grosso, vagina e bexiga.

A via abdominal detecta lesões de endometriose em locais menos comuns, mas não por isso menos importantes, como as lesões no diafragma, ceco, apêndice, parede abdominal (cicatriz da cesárea), região umbilical e sigmoide alto.

ultrassom transvaginal especializado

Endometriose umbilical, identificada pela via abdominal em um ultrassom transvaginal com preparo intestinal. 

Duração do exame

Um exame transvaginal com preparo intestinal, realizado com um protocolo completo pela via transvaginal e abdominal, tem uma duração de pelo menos 30 minutos.

Exames realizados muito rapidamente apresentam uma chance maior do protocolo ter sido realizado de maneira incompleta e por isso inadequados para o estadiamento da endometriose.

O estadiamento é a descrição de todos os focos de endometriose, fundamentais para o planejamento do tratamento e depois no controle evolutivo da doença.

Protocolo do exame transvaginal com preparo intestinal da Humanize Diagnósticos

O protocolo é realizado pela via transvaginal e abdominal e avalia as seguintes estruturas:

  1. Septo retovaginal e retossigmoide;
  2. Região retrocervical em 3 etapas: retrocervical central, retrocervical lateral e fundo de saco de Douglas;
  3. Útero, anexos, pesquisa de mobilidade e avaliação de áreas dolorosas;
  4. Região anexial direita (ceco, apêndice e íleo);
  5. Compartimento anterior (bexiga, ureter, recesso vesico-uterino e ligamentos redondos);
  6. Fórnice vaginal posterior com gel na suspeita de endometriose na vagina;
  7. Rins, região subdiafragmática, ceco, apêndice, íleo, sigmoide e parede abdominal pela via abdominal.

endometriose no diafragma

Endometriose no diafragma, identificada pela via abdominal em um exame de ultrassom com preparo intestinal.

Equipamento de alta resolução

A melhora na resolução das imagens nos equipamentos de ultrassonografia é algo marcante ao longo dos anos, sendo que os equipamentos de alta resolução permitem o diagnóstico de pequenos focos de endometriose com muita nitidez e fazem a diferença em muitos casos.

Na Humanize Diagnósticos utilizamos o equipamento de ultrassom Voluson E10, considerado o melhor equipamento para a realização de exames em ginecologia e obstetrícia.

ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Endometriose ovariana (endometrioma), identificada em um ultrassom transvaginal com preparo intestinal.

Orientações para a realização do exame transvaginal com preparo intestinal.

  • Trazer exames anteriores, inclusive os de sangue (CA125), ultrassom transvaginal, ressonância magnética e relatórios de cirurgias prévias, caso tenha;
  • Chegar com 30 minutos de antecedência do horário agendado.

Na véspera do Exame

  • Dieta sem resíduos: evitar gordura, vegetais folhosos, alimentos do tipo integral, grãos de feijão, leite e seus derivados;
  • Sugestão: peito de frango cozido, filet de peixe cozido, ovo poche, caldo de feijão coado, arroz branco, cenoura, chuchu ou batata cozida e amassada, gelatina, torradas, suco de frutas coado em peneira fina e água de coco.
  • Caso o exame esteja agendado no período da tarde, pode tomar café da manhã, evitando os alimentos acima. É preciso jejum de apenas 4 horas.

A medicação de escolha para a realização do preparo intestinal tem como princípio ativo o macrogol 3350.

Esta substância apresenta diferentes nomes comerciais no mercado, como Muvinlax® entre outros e tem a vantagem de não ser absorvido pelo organismo e desta forma, determina poucos efeitos colaterais.

Véspera do exame.

  • Dissolver cinco envelopes de Muvinlax® em 600 ml de água às 8h00 e tomar;
  • Dissolver mais cinco envelopes de Muvinlax® em 600 ml de água às 14h00 e tomar.

No dia do Exame

  • Jejum mínimo de 4 horas;
  • A ingestão de líquidos está liberada durante todo o preparo;
  • Dentro do consultório, antes de realizar o exame, será aplicado pela equipe de enfermagem 1 ampola de Phosfoenema® pela via retal.

Importante: os laxantes ingeridos na véspera do exame não necessariamente irão promover evacuações, mas auxiliam no resultado da aplicação do Phosphoenema®.

O preparo no dia do exame com o Phosphoenema® irá acontecer da mesma forma, independentemente de evacuações na véspera, pois é a parte mais importante do preparo intestinal.

Medicações alternativas caso você não encontre o Muvinlax® para tomar na véspera do exame.

  • Dulcolax® (Bisacodil – 5 mg)
    • Tomar 2 comprimidos às 08:00 e 2 comprimidos às 14:00;
  • Guttalax® (picossulfato de sódio – gotas)
    • Tomar 20 gotas às 08:00 e 20 gotas às 14:00.

Estas duas medicações acima determinam com muita frequência cólicas intestinais às vezes de forte intensidade, motivo pelo qual o preparo com Muvinlax® é melhor.

Outro exame muito importante para o diagnóstico da endometriose é a ressonância magnética, exame também realizado com preparo intestinal na suspeita de lesões de endometriose.

ultrassom transvaginal com preparo intestinal

Endometriose no apêndice diagnostica em um ultrassom transvaginal com preparo intestinal.

Qual exame é melhor para a pesquisa de endometriose? Ressonância magnética ou ultrassonografia com preparo intestinal

Ambos os exames apresentam elevada acurácia na pesquisa da endometriose. A vantagem do ultrassom transvaginal com preparo intestinal é a identificação de endometriose de pequenas dimensões, avaliação da endometriose intestinal e na identificação de aderências, por ser um método dinâmico.

Em abril de 2019 uma publicação cientifica demonstrou que a utilização simultânea dos dois exames na avaliação da pesquisa de endometriose pode gerar uma acuraria próxima de 100% para o diagnóstico.

 

Ultrassom transvaginal com preparo intestinal pelo convênio

A ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal pode ser feito pelo convênio, mas a pessoa deve utilizar o reembolso médico. A Humanize pode te ajudar a realizar o processo.

 

A Humanize Diagnósticos é um laboratório especializado no ultrassom transvaginal com preparo intestinal. Agende e faça seu exame com especialistas.

 

 

Entre em contato para saber o preço do exame.

 

Referências bibliográficas

Acurácia da ultrassonografia transvaginal versus ressonância magnética no diagnóstico da endometriose retossigmóide: revisão sistemática e metanálise. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30964888

Acurácia do Ultrassom Transvaginal para Diagnóstico de Endometriose Profunda no Retossigmoide: Revisão Sistemática e Meta-Análise. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26213903/

Abordagem sistemática da avaliação ultrassonográfica da pelve em mulheres com suspeita de endometriose, incluindo termos, definições e medidas: uma opinião de consenso do grupo International de Analise da Endometriose Profunda (IDEA). https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27349699/

Diagnóstico por ultrassom de endometriose e adenomiose: estado da arte. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29506961/

Ultrassonografia para Endometriose Profunda Infiltrativa e Ovariana. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28076877/

Ultrassom transvaginal versus ressonância magnética para diagnóstico de endometriose profunda infiltrativa: revisão sistemática e metanálise. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29154402/